Radius:

Human Resources

Sorry, this entry is only available in European Portuguese.

Daniela Almeida Vitae
O seu¬†nome √© Daniela Almeida, tem 27 anos e √©¬†do Porto, cidade onde trabalha neste momento, na Vitae Professionals. √Ȭ†licenciada e mestre em Ci√™ncias da Comunica√ß√£o, tendo feito a sua¬†forma√ß√£o acad√©mica na Universidade do Porto e Universidade do Minho.

Continue reading »

Carlos final

Sorry, this entry is only available in European Portuguese.

PCR2

O meu nome √© Lu√≠sa Almeida e sou natural de Ermesinde (Valongo). Frequentei o ensino superior, mais precisamente, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto no curso de Estudos Europeus e Rela√ß√Ķes Internacionais. Frequentei, ainda, a Universit√© Paris 8 Vincennes Saint Denis (Fran√ßa). Ap√≥s ter terminado a Licenciatura, estagiei em Bruxelas e lancei-me logo de seguida na investiga√ß√£o, em geografia econ√≥mica. Passei tamb√©m pela Reitoria da Universidade do Porto em Rela√ß√Ķes Internacionais. Complementei a minha forma√ß√£o acad√©mica ingressando no Mestrado de Rela√ß√Ķes Internacionais da Universidade do Porto, tendo como tema de investiga√ß√£o: a guerra da B√≥snia (1992-1995). Durante o Mestrado, trabalhei no Centro de Lingu√≠stica da Universidade do Porto e paralelamente numa ag√™ncia de recrutamento irlandesa. Foi a partir da√≠ que me comecei a familiarizar com o recrutamento internacional.

Emprego Sa√ļde –¬†Quando e como come√ßou a trabalhar na √°rea de recrutamento?

Lu√≠sa Almeida –¬†Comecei a trabalhar em recrutamento em dezembro de 2011, tendo permanecido at√© √† presente data nesta √°rea profissional.

Emprego Sa√ļde –¬†Qual o atractivo e as dificuldades deste trabalho? Qual tem sido o posicionamento da sua empresa neste mercado?

Lu√≠sa Almeida –Este trabalho poder√° ser “simples” mas extremamente desafiante. Porqu√™? Basicamente, n√£o se fazem as mesmas tarefas todos os dias. Portanto, todos os dias temos de fazer algo diferente e para mim, em particular, √© o ponto atrativo desta atividade profissional. Tamb√©m a possibilidade de p√īr em pr√°tica os idiomas que fui aprendendo: Ingl√™s, Franc√™s, Alem√£o. O facto de trabalhar numa empresa irlandesa d√° a possibilidade de aprender a lidar com pessoas de v√°rias culturas e backgrounds.
Contudo, as dificuldades prendem-se com a parte dita comercial: tentar agradar ao candidato, tentar agradar ao cliente. No fundo, agradar ambas as partes não é tarefa de todo fácil e sobretudo lidar com temperamento de alguns profissionais pode ser um desafio.

Emprego Sa√ļde –¬†Quais s√£o as oportunidades e amea√ßas neste momento para um profissional de sa√ļde que queira migrar?

Lu√≠sa Almeida –Se um profissional quiser dar esse passo existem imensas oportunidades no estrangeiro mas que nunca dever√° colocar totalmente de parte as oportunidades que v√£o aparecendo na sua √°rea de resid√™ncia. Essas oportunidades dever√£o ser devidamente escrutinadas para que n√£o h√° posteriormente desilus√Ķes ou falha nas expectativas. As oportunidades s√£o sobretudo direccionadas para enfermeiros, fisioterapeutas e m√©dicos.
Quanto √†s amea√ßas, os profissionais dever√£o avaliar o desempenho da ag√™ncia de recrutamento atrav√©s da qual pretendem emigrar. Algumas empresas prometem demasiado ou simplesmente deixam de seguir o profissional assim que o mesmo se encontra no destino. Isso √© um problema pois o profissional deveria sentir-se “seguido” durante um per√≠odo de pelo menos 6 meses, o que corresponde ao per√≠odo de adapta√ß√£o ao pa√≠s, ao local de trabalho, cultura local. Portanto, existem muitas ag√™ncias que promovem uma m√° conduta e os profissionais que queiram dar este passo dever√£o estar atentos a isso e procurar diferentes op√ß√Ķes.

Emprego Sa√ļde –¬†o Reino Unido tem sido um destino de elei√ß√£o para profissionais portugueses. Que raz√Ķes est√£o na base dessa escolha? Que feedback obt√©m dos candidatos colocados e dos empregadores?

Lu√≠sa Almeida –O feedback vai variando pois tanto colocamos profissionais portugueses em hospitais p√ļblicos como no setor das nursing homes. De uma forma geral, a mudan√ßa parece ser para melhor e positiva, sendo que acarreta custos (elevado custo de vida) mas que existe a possibilidade de progredir profissionalmente.

Emprego Sa√ļde –¬†Como est√° a evoluir o mercado de recrutamento e mobilidade internacional? Que outros destinos poder√£o ser interessantes a n√≠vel profissional e pessoal?
O mercado de recrutamento √© bastante vol√°til. Se hoje vamos recrutar em It√°lia, n√£o quer dizer que continue assim no m√™s seguinte. Portanto, temos de nos adaptar a diferentes mercados e prever e avaliar que outros pa√≠ses poderiam ser uma mais-valia. Al√©m do Reino Unido como destino para os profissionais portugueses, o M√©dio Oriente oferece excelentes condi√ß√Ķes para quem queira auferir um bom sal√°rio em pouco tempo. Claro que existem contrapartidas pois em alguns locais do M√©dio Oriente a figura da mulher √© pouco aceite, a vida social praticamente inexistente para as mesmas, mas em termos de sal√°rio e custo de vida, √© um mercado que compensa sem qualquer d√ļvida. Tamb√©m a Alemanha poder√° ser um destino interessante, sendo que o desafio √© o idioma. A B√©lgica √© um pais extremamente recetivo a profissionais portugueses e portanto √© sempre uma boa possibilidade.

Emprego Sa√ļde –¬†quais os pormenores que um candidato que procure emprego fora de Portugal n√£o pode descurar?

Lu√≠sa Almeida –Um candidato que procure emprego fora de Portugal deve ter em considera√ß√£o alguns aspetos, sobretudo, o sal√°rio e custo de vida. No fundo, tentar perceber se compensa ou n√£o a transi√ß√£o do seu pa√≠s de origem para um determinado pa√≠s de destino. Tamb√©m a possibilidade de progress√£o na carreira deveria ser tido em conta bem como os incentivos que existem para a forma√ß√£o cont√≠nua (e.g Mestrado…).

Emprego Sa√ļde –¬†Que conselho daria a um jovem que est√° no √ļltimo ano do curso de forma√ß√£o de base?

Lu√≠sa Almeida –Penso que dever√° fazer pesquisas extensivas sobre as oportunidades que existem em Portugal, mais precisamente, na sua localidade mas tamb√©m ponderar e avaliar a possibilidade de emigrar ainda que temporariamente ou a curto prazo. O Reino Unido oferece boas possibilidades de progredir na carreira, sendo essa forma√ß√£o reconhecida aqui. Portanto, emigrar n√£o √© for√ßosamente sin√≥nimo de ficar o resto da vida num determinado local, mas ir aprendendo e evoluindo atrav√©s das ferramentas e condi√ß√Ķes que infelizmente Portugal n√£o oferece no momento.

Emprego Sa√ļde –¬†Que hist√≥ria recorda com mais satisfa√ß√£o no seu percurso como profissionais e recursos humanos?

Lu√≠sa Almeida –¬†A hist√≥ria que recordo com satisfa√ß√£o √© de um enfermeiro italiano que tentou duas vezes a mesma entrevista, tendo sido selecionado √† segunda vez. Viajou e foi trabalhar no setor das nursing homes. Agora, est√° perfeitamente integrado n√£o s√≥ profissionalmente mas tamb√©m a n√≠vel emocional com uma auxiliar polaca. De uma forma geral, o feedback dos profissionais que colocamos tanto enfermeiros, como fisioterapeutas √© positivo mas √© atrav√©s dos coment√°rios negativos que tamb√©m conseguimos melhorar tanto como consultores de recrutamento, como ofertas que devem ser melhoradas.

Liliana_Costa_BPL_closeup

Sorry, this entry is only available in European Portuguese.

FFF_Healthcare_Andre_leite

Sou o Andr√© Leite, 39 anos, engenheiro, ex-consultor de Gest√£o de Empresas e de Organiza√ß√Ķes Sociais, especializado em Gerontologia, Bioengenharia e Tecnologias de Apoio, co-fundador e dirigente de duas IPSSs. Fa√ßo Bodyboard, desportos de ondas e adoro viajar.

Emprego Sa√ļde – Quando e como come√ßou a trabalhar na √°rea de recrutamento?

André Leite РNo ano de 2005.

Emprego Sa√ļde – Qual o atrativo e as dificuldades deste trabalho? Qual tem sido o posicionamento da sua empresa neste mercado?

Andr√© Leite – √Č motivador e gratificante fazer a ponte entre a oferta e a procura, satisfazendo as necessidades e as aspira√ß√Ķes tanto do empregador como do candidato. No nosso caso, atendendo ao crescente mercado na √°rea da sa√ļde no M√©dio Oriente, em particular nos pa√≠ses √°rabes do golfo p√©rsico (GCC), as dificuldades est√£o normalmente relacionadas com os elevados n√≠veis de exig√™ncia dos Hospitais empregadores que procuram profissionais altamente qualificados, com experi√™ncia em ambiente hospitalar e flu√™ncia em ingl√™s. Acrescem as dificuldades em satisfazer as expectativas dos candidatos, que ter√£o de ser seleccionados com o perfil e a motiva√ß√£o adequados ao exigente desafio profissional nessa √°rea geogr√°fica.

Emprego Sa√ļde – Quais s√£o as oportunidades e amea√ßas neste momento para um profissional de sa√ļde que queira migrar?

Andr√© Leite – S√£o grandes as oportunidades e os benef√≠cios, nomeadamente, a valoriza√ß√£o curricular e pessoal, a multiculturalidade aliada √† significativa melhoria econ√≥mica. H√° sempre que ter em aten√ß√£o as diferen√ßas culturais, que imp√Ķem uma cuidada adapta√ß√£o a diferentes m√©todos de trabalho. Apesar disso, √© evidente que uma experi√™ncia laboral no estrangeiro valoriza sempre os profissionais.

Emprego Sa√ļde – o Reino Unido tem sido um destino de elei√ß√£o para profissionais portugueses. Que raz√Ķes est√£o na base dessa escolha? Que feedback obt√©m dos candidatos colocados e dos empregadores?

Andr√© Leite – O Reino Unido tem vantagens, em especial, pela proximidade geogr√°fica com Portugal face a outros pa√≠ses. √Č mais f√°cil um enfermeiro rec√©m-licenciado obter coloca√ß√£o comparativamente com outros pa√≠ses que procuram habitualmente profissionais com, pelo menos dois anos de experi√™ncia. A reputa√ß√£o dos enfermeiros portugueses no Reino Unido √© muito boa. No entanto os benef√≠cios salariais s√£o muito superiores no M√©dio Oriente, onde a retribui√ß√£o √© isenta de impostos e as despesas com alojamento s√£o suportadas pelos empregadores. Diferentemente, o Reino Unido √© excelente para um rec√©m licenciado ganhar experi√™ncia, mas com o elevado custo de vida, incluindo os impostos, √© mais dif√≠cil poupar os rendimentos ao fim de um ano de trabalho.

Emprego Sa√ļde – como est√° a evoluir o mercado de recrutamento e mobilidade internacional? Que outros destinos poder√£o ser interessantes a n√≠vel profissional e pessoal?

Andr√© Leite – O mercado internacional √© muito din√Ęmico. Actualmente o pa√≠s com maior crescimento na √°rea hospitalar √© a Ar√°bia Saudita pela forte aposta do Governo na sa√ļde. Tem um plano para os pr√≥ximos 10 anos de constru√ß√£o de mais 150 hospitais, al√©m dos muitos em funcionamento (actualmente tem 10 vezes mais hospitais certificados pela JCI do que Portugal). Existem tamb√©m alguns pa√≠ses que come√ßaram a recrutar profissionais portugueses qualificados, como a Noruega, bem como outros pa√≠ses como a B√©lgica, Fran√ßa e Alemanha. H√° tamb√©m excelentes unidades hospitalares, j√° alguns com portugueses, na √ćndia e na Tail√Ęndia.

Emprego Sa√ļde – quais os pormenores que um candidato que procure emprego fora de Portugal n√£o pode descurar?

Andr√© Leite – O meu primeiro conselho √© que os candidatos deem prefer√™ncia a ofertas de emprego promovidas por entidades cred√≠veis e especializadas, como sejam o Emprego Sa√ļde, atrav√©s de ag√™ncias portuguesas de recrutamento especializadas para os pa√≠ses onde desejam emigrar. Com uma ag√™ncia portuguesa de recrutamento, o candidato ter√° maior facilidade em comunicar e esclarecer as suas d√ļvidas. Al√©m disso, uma ag√™ncia portuguesa especializada na coloca√ß√£o de portugueses no estrangeiro dar√° sempre prefer√™ncia a portugueses ao contr√°rio das ag√™ncias estrangeiras. No meu caso, dou sempre prefer√™ncia aos profissionais portugueses, pugnando pelos melhores benef√≠cios e por tratamento igual a outros pa√≠ses europeus com boa reputa√ß√£o profissional. Recomendo tamb√©m aos candidatos que se informem bem sobre o pa√≠s para onde desejam emigrar, sendo que, actualmente, com o GOOGLE, √© f√°cil obter essa informa√ß√£o.

Emprego Sa√ļde – Que conselho daria a um jovem que est√° no √ļltimo ano do curso de forma√ß√£o de base?

Andr√© Leite – Em primeiro lugar, deve manter a esperan√ßa e o optimismo. Apesar das conhecidas dificuldades de emprego, v√£o surgindo algumas oportunidades, que n√£o devem ser descuradas. Para quem gosta de desafios aliciantes, o ‚Äúmundo √© cada vez mais pequeno‚ÄĚ, pelo que recomendo vivamente uma experi√™ncia profissional no estrangeiro, ainda que de curta dura√ß√£o. √Č essencial a forma√ß√£o em ingl√™s, sem preju√≠zo da experi√™ncia profissional em ambiente hospitalar nos primeiros dois anos, de prefer√™ncia, em Portugal, ou no estrangeiro.

Emprego Sa√ļde – Que hist√≥ria recorda com mais satisfa√ß√£o no seu percurso como profissionais e recursos humanos?

André Leite РO que me deu mais prazer foi promover Portugal numa cidade do interior da Arábia Saudita que tinha fortes necessidades na área da Neurocirurgia e Cardiologia. Graças à qualidade e ao esforço dos profissionais portugueses, foram criados dois novos serviços de Neurocirurgia e Cardiologia de Intervenção de referência nacional, que elevaram o prestígio de Portugal e dos profissionais portugueses. Este facto motivou empresários e investidores sauditas dessa pequena cidade do interior, que mal conheciam Portugal, a investir em Portugal, nomeadamente, nas áreas da Hotelaria, Imobiliária, Turismo e Agricultura. Estas sinergias deram-me enorme satisfação, bem como a profunda admiração que esta pequena cidade passou a ter pelos portugueses.

NHS

Sorry, this entry is only available in European Portuguese.

nurse

Sorry, this entry is only available in European Portuguese.

CV

Já pensou em quem lê o seu Curriculum Vitae? Tente vestir a pele de um recrutador e imagine que tem 300 CVs para analisar e tempo limitado para o fazer. Por onde vai começar? Por mais que queira, não tem tempo para ler exaustivamente todos os CVs e, como tal, tem de filtrar e reduzir o leque de potenciais candidatos, procurando encontrar formas fáceis e eficientes de o fazer. Nesta fase, ainda não está à procura dos melhores, está sim a procura de argumentos para eliminar candidatos, que é como quem diz, está à procura de erros.
Um CV com erros pode significar a perda de boas oportunidades de emprego e rever o CV é essencial para prevenir erros que podem funcionar como filtros de rejeição na cabeça dos recrutadores. Conheça os 10 erros mais comuns em CVs, segundo o site Monster:

Continue reading »

entrevista

Who is looking for work fantasy beforehand what happens when you go for a job interview: leaving home well dressed and with a rehearsed speech, reach us on time, wait several minutes until someone from the Human Resources bring to a room where you will ask whatever you think is relevant to the hire.

A job interview is the final stage of the recruitment process might give you the key to enter a company and as a collaborator, so maybe it is seen as an almost insurmountable obstacle for many. However, it is not necessary to be in a cold sweat after receiving the long-awaited call: good preparation is essential so that everything goes as well as possible.

Continue reading »