Radius:
4cc456fc9b.jpeg

Seja um Agente +. Ajude a avaliar as medidas do SIMPLEX+2016!

Cumprindo o Programa de Governo, o SIMPLEX voltou como o programa nacional de medidas de simplifica√ß√£o que tem como objetivo central facilitar a vida dos cidad√£os e das empresas na sua intera√ß√£o com os servi√ßos p√ļblicos.

Nos primeiros seis meses do Simplex+ 2016 foram implementadas 26 medidas e estão em vias de implementação 18. A taxa média global de execução é de 40%. Os dados foram apresentados a 2 de novembro de 2016.

Recorda-se que o programa de simplificação administrativa do Governo conta com um total de 255 medidas, em que 213 deverão estar concluídas até maio de 2017 e 42 até março de 2018.

Relativamente ao Simplex+ 2016, est√° em curso uma avalia√ß√£o dos impactos das medidas, assente em dois processos diferentes. Um deles, de monitoriza√ß√£o, abrange a cria√ß√£o de uma rede dos chamados ‚ÄúAgentes+‚ÄĚ constitu√≠da por cidad√£os, empresas e associa√ß√Ķes,¬†aos quais¬†s√£o¬†dirigidos inqu√©ritos de utiliza√ß√£o e satisfa√ß√£o.

Complementarmente est√° a ser desenvolvido um trabalho de base cient√≠fica para avaliar o impacto de medidas a diferentes n√≠veis, como redu√ß√£o de encargos administrativos, redu√ß√£o de obriga√ß√Ķes e melhoria do seu cumprimento, poupan√ßas geradas (de tempo e dinheiro), funcionamento dos servi√ßos p√ļblicos, entre outros.

Os dados do balanço de seis meses do Simplex+ 2016, bem como os processos de avaliação dos impactos das medidas, foram  apresentados, no dia 2 de novembro, pela secretária de Estado Adjunta da Modernização Administrativa, Graça Fonseca. Na ocasião, a governante sublinhou que a prestação de contas é algo que tem sido feito desde sempre, assim como a avaliação da opinião sobre os serviços.

Por sua vez, Maria Manuel Leit√£o Marques, Ministra da Presid√™ncia e da Moderniza√ß√£o Administrativa, refor√ßou que a ideia agora √© ‚Äúaprofundar‚ÄĚ esta ‚Äúatitude‚ÄĚ e ‚Äúfazer melhor‚ÄĚ. ‚ÄúDecidimos que os cidad√£os e os empres√°rios v√£o passar a ser, eles pr√≥prios, quem vai avaliar e classificar os resultados do nosso esfor√ßo‚ÄĚ.

Ajude-nos a avaliar as medidas do SIMPLEX+2016. Responda aos question√°rios. Torne-se Agente mais!

O Programa Simplex+ Sa√ļde contempla as seguintes medidas:

  1. Nascer com m√©dico de fam√≠lia e boletins de sa√ļde eletr√≥nicos
  2. Carta sobre rodas
  3. Autenticação.gov +
  4. Notifica√ß√Ķes eletr√≥nicas (SMS e email)
  5. Atestado Médico Multiuso digital
  6. Receita sem papel Plus
  7. App MySNS
  8. Registo de Sa√ļde Eletr√≥nico +
  9. ADSE na sua m√£o
  10. Geo INEM
  11. SIGA SNS
  12. APP Poupe na Receita +
  13. ADSE Direta +
  14. Sa√ļde.doc
  15. Medicamento direto
  16. Alerta pessoas em risco
  17. Centro Contacto do SNS
  18. Registo Eletrónico de Certificados de Incapacidade Temporária
  19. App Carteira Eletr√≥nica de Sa√ļde
  20. Tecnologias@sa√ļde
  21. MSa√ļde Pessoas
  22. Emergência médica digital
  23. Sa√ļde transfronteiri√ßa digital
  24. Em contato com a Entidade Reguladora Sa√ļde
  25. Registo nacional de dadores sempre atualizado
  26. C√©dula Profissional Eletr√≥nica da Sa√ļde
  27. Dispositivos médicos mais simples
  28. Resolu√ß√£o r√°pida e eficaz de conflitos na sa√ļde
  29. Referenciação eletrónica nos Cuidados Continuados Integrados
  30. APP Registo Português de Transplantação
  31. Reclama√ß√Ķes, sugest√Ķes e elogios na Sa√ļde
  32. Licenciar farm√°cias + simples
  33. Reconhecimento das unidades de sa√ļde
  34. Introdução de novos medicamentos online
  35. Autorização Excecional de Medicamentos mais simples
  36. Ensaios clínicos digitais
  37. Certificados de autorização do medicamento online
  38. Informação clínica integrada nos comportamentos Aditivos e Dependências

Para saber mais, consulte:

 

Fonte original: SNS – Servi√ßo Nacional de Sa√ļde

068a2ef5f2.jpeg

Infarmed alerta para retirada do mercado de dois lotes.

O Infarmed¬†‚Äď Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Sa√ļde anunciou a retirada do mercado de dois lotes do medicamento Aspirina 500 mg Granulado por causa de um problema na selagem das saquetas.

De acordo com o Infarmed, a empresa Bayer Portugal, Lda. ir√° proceder √† recolha volunt√°ria dos seguintes lotes do medicamento Aspirina 500 mg Granulado, √°cido acetilsalic√≠lico, 500mg, granulado, Saqueta ‚Äď 10 unidades, com o n√ļmero de registo 5273289, na sequ√™ncia de se ter detetado um problema na selagem das saquetas com os lotes e datas de validade:¬†¬†

  • BTT1B5L ¬†‚Äst 1/01/2018
  • BTT16P0¬†¬†‚Äď 28/02/2017

 

Assim, o Infarmed determina a suspensão imediata da comercialização destes lotes e adverte:.

  • As entidades que possuam estes lotes de medicamento em stock n√£o os podem vender, dispensar ou administrar, devendo proceder √† sua devolu√ß√£o;
  • Os doentes que estejam a utilizar medicamentos pertencentes a estes lotes n√£o o devem tomar. Se necess√°rio, devem adquirir outro lote deste medicamento ou pedir ao m√©dico ou ao farmac√™utico a indica√ß√£o de um medicamento alternativo.

Pode obter esclarecimento de d√ļvidas relacionadas com medicamentos e produtos de sa√ļde (dispositivos m√©dicos, produtos cosm√©ticos e de higiene corporal e produtos farmac√™uticos homeop√°ticos) junto do Centro de Informa√ß√£o do Medicamento e dos Produtos de Sa√ļde (CIMI), atrav√©s de:

  • Telefone: 217987373
  • Fax: 211117552
  • Email: cimi@infarmed.pt
  • Linha do Medicamento: 800 222 444 (gratuita)

 

Para saber mais, consulte:

Infarmed > Circular Informativa

Fonte original: SNS – Servi√ßo Nacional de Sa√ļde

1438f8bd51.jpeg

Sistema em funcionamento, no Hospital Padre Américo, no dia 20.

O Centro Hospitalar do T√Ęmega e Sousa (CHTS) divulga que o novo sistema de registo de visitas, no Hospital Padre Am√©rico, em Penafiel, entra em funcionamento no dia 20 de fevereiro de 2017.

De acordo com o centro hospitalar, a entrada para visita no Hospital Padre Am√©rico vai continuar a ser feita com a apresenta√ß√£o de cart√Ķes que devem ser levantados e registados no Posto de Visitas, mas a gest√£o destes cart√Ķes passa a ser da responsabilidade da pessoa que ficar registada como sendo o acompanhante do doente internado.

O acompanhante s√≥ precisa de ir ao balc√£o de visitas uma vez, recebe dois cart√Ķes, um de acompanhante e outro de visitante, mediante a apresenta√ß√£o de documento de identifica√ß√£o com fotografia, para ser feito o registo de quem recebeu os cart√Ķes.

Ser√° o acompanhante a gerir os cart√Ķes de visita que lhe s√£o entregues, √† semelhan√ßa do que j√° acontece com outras unidades hospitalares, entre os v√°rios familiares e amigos do doente internado.

O cart√£o de acompanhante deve ser apenas utilizado pelo familiar direto, ou pessoa significativa, indicada pelo doente e que o acompanha durante o internamento.

O cart√£o de visitante pode ser trocado entre as pessoas, que n√£o o acompanhante, que pretendam contactar e visitar o doente internado.

O CHTS tem como objetivo melhorar continuamente o serviço que presta à comunidade e promover a ligação entre familiares e amigos sem comprometer a segurança dos doentes é uma das prioridades.

Em termos pr√°ticos, este novo sistema evita a perman√™ncia di√°ria em filas para levantar os cart√Ķes de acompanhante ou visitante, permite ao doente saber quem o vai visitar e permite ao visitante, atrav√©s do acompanhante, saber se a visita √© oportuna ou se o cart√£o de visitante est√° a ser utilizado.

Este procedimento garante ainda ao doente e aos seus familiares e amigos que os cart√Ķes v√£o ser utilizados apenas por eles e n√£o para visitas a outros doentes, conclui o centro¬†hospitalar.

Para saber mais, consulte:

CHTS > Sistema de visitas do Hospital Padre Américo vai mudar

 

Fonte original: SNS – Servi√ßo Nacional de Sa√ļde

0e8f85efec.jpeg

Um novo estudo revelou que a obesidade devida a uma dieta rica em gordura pode desencadear no sistema imunitário um aumento da inflamação e incrementar o risco de doenças cardiovasculares.

O estudo, conduzido por investigadores da Queen Mary University of London, Reino Unido, inidicou uma nova associação entre a obesidade e o risco de doença cardiovascular que ocorre através do desencadeamento de uma resposta imune que envolve as células T, que são um tipo de glóbulos brancos.

As poderosas células T ajudam a proteger o organismo das infeções. No entanto, podem também causar inflamação que leva à acumulação de placas de gordura – aterosclerose.

Marelli-Berg e equipa analisaram amostras de sangue de 1.172 pessoas que apresentavam peso normal, excesso de peso ou eram obesas. Foi verificado que as pessoas obesas apresentavam níveis mais elevados de células T. A equipa de investigadores apurou ainda que os participantes com gordura abdominal apresentavam níveis mais elevados de células imunitárias de inflamação do que aqueles que tinham gordura nas coxas e nádegas.

Foram igualmente conduzidos ensaios em ratinhos que demonstraram que os roedores que estavam a ser alimentados com uma dieta rica em gordura apresentavam níveis mais elevados de células T do que os ratinhos alimentados com dietas normais.

A equipa concluiu, após também terem analisado os resultados de testes com diferentes tipos de células T, que uma dieta rica em gordura alterava o desenvolvimento das células T no sentido de produzirem uma memória inflamatória.

Segundo Federica Marelli-Berg, autora correspondente, este estudo demonstra “uma ligação direta entre a comida que ingerimos, o nosso peso e a inflamação perigosa que pode causar doença cardíaca”.

A equipa considera que os achados podem conduzir a novos tratamentos que reduzam o desenvovimento de doenças cardíacas ao incidir sobre a inflamação. Torna-se agora necessário determinar se fazer dieta poderá ajudar a reduzir os níveis elevados de células T nocivas e reduzir o risco cardiovascular, ou se quando estas atingem um certo nível este se mantém, independentemente do facto de se fazer dieta.

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

a6aec20c1b.jpeg

Um novo estudo sobre os hábitos sexuais revelou que os homens homossexuais hoje em dia demonstram uma tendência muito menor para usarem preservativos em comparação com as tendências de há 20 anos atrás.

Conduzido por uma equipa de investigadores liderada por Seth Kalichman da Universidade de Connecticut, EUA, o estudo teve por base a anáise de sondagens anónimas a participantes do sexo masculino no festival Gay Pride de Atalnta em 1997, 2005, 2006 e 2015.

Foram questionados mais de 1.800 homens, sendo que 81% a 97% eram brancos, exceto em 2006, ano em que os investigadores questionaram mais negros e apenas 39% dos participantes eram brancos.

Os homens questionados em 2015 que declararam não estarem infetados com VIH, ou não sabiam o seu estado, apresentavam maior propensão para ter sexo sem usar preservativo, em comparação com os inpíduos questionados em 1997 e 2006 no mesmo festival.

Em 1997, 43% dos homens que tinham afirmado não estarem infetados com VIH, ou não sabiam o seu estado, afirmaram ter tido sexo sem preservativo nos últimos seis meses; em 2015, aquela percentagem tinha subido para 61%.

O número de homens que afirmou ter tido sexo sem proteção com dois ou mais parceiros era de 9% em 1997; em 2015, este número subiu para cerca de um terço dos questionados.

Relativamente aos homens que tinham sido infetados com VIH (14% a 17% dos questionados), 25% dizia ter tido sexo sem usar preservativo em 1997, uma percentagem que subiu para 67% em 2015. Os homens que tinham tido sexo sem proteção com dois ou mais parceiros totalizavam 9% em 1997, tendo esse número subido para 52% em 2015.

Segundo Jeffrey Parsons, professor de psicologia que se dedica ao estudo do VIH e comportamentos relativos à saúde, considera que esta alteração no comportamento dos homens homossexuais e bissexuais se deverá a duas razões.

“Em primeiro lugar, o tratamento dos infetados com o VIH é bem sucedido” já que o índice do vírus no sangue acaba por atingir um nível em que não é possível transmitir a infeção. Em segundo lugar, a Profilaxia Pré-exposição (conhecida como PrEP), quando tomada diariamente ajuda os homens a evitarem serem infetados com o VIH.

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

bcc89ad10b.jpeg

Um novo estudo atestou que a adoção de uma dieta mediterrância rica em azeite virgem promove os efeitos protetores da saúde cardiovascular do chamado bom colesterol.

Conduzido por uma equipa de investigadores liderados por Montserrrát Fitó do Grupo de Estudo do Risco Cardiovascular e Nutrição do Instituto de Estudos Médicos do Hospital del Mar em Barcelona, Espanha, o estudo teve por objetivo determinar se a adoção de uma dieta mediterrância enriquecida com azeite virgem ou frutos secos de casca rija, durante um prolongado período de tempo, melhoraria as propriedades benédicas do bom colesterol (HDL) nos humanos.

A equipa contou com a participação de 296 pessoas escolhidas aleatoriamente, com uma média de idades de 66 anos e que apresentavam um risco elevado de doença cardíaca. Os participantes foram pididos em três grupo e foi atribuída uma dieta diferente a cada grupo durante um ano.

Uma das dietas consistia numa dieta mediterrância tradicional, enriquecida com cerca de 4 colheres de sopa diárias de azeite virgem. A segunda dieta era igual à anterior, exceto que em vez de conter o azeite, incluía uma porção diária de frutos secos de casca rija. Ambas as dietas mediterrânicas continham fruta, legumes, leguminosas, peixe e carne branca.

A terceira dieta era saudável e de controlo e incluía doses reduzidas de carne vermelha, laticínios gordos, alimentos processados e doces. Os participantes foram submetidos a análises ao sangue no início e fim do estudo, de forma a medir os níveis de colesterol HDL e LDL (mau colesterol).

Foi verificado que os níveis de colesterol total e de colesterol LDL desceram apenas na dieta de controlo. Embora nenhuma das três dietas tenha produzido aumentos significativos nos níveis de colesterol HDL, as duas dietas mediterrânicas melhoraram a função do HDL, tendo sido essa melhoria mais acentuada na dieta que incluía o azeite virgem.

A dieta mediterrância enriquecida com azeite virgem promoveu a melhoria das funções do HDL, como proteção antioxidante, reversão do transporte do colesterol e promoção da vasodilatação.

Embora a dieta de controlo incluísse muita fruta e legumes, tal como as dietas mediterrânicas, a mesma demonstrou exercer um impacto negativo sobre as propriedades anti-inflamatórias do colesterol HDL. Este impacto negativo não foi observado nas dietas mediterrânicas.

A redução nos níveis das propriedades anti-inflamatórias do colesterol HDL está associada a um maior risco de doença cardíaca.

Os investigadores concluem que seguir uma dieta mediterrância rica em azeite virgem pode proteger a nossa saúde cardiovascular de muitas formas diferentes que incluem optimizar o trabalho do bom colesterol.

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

c7c5dc4b0b.jpeg

Um estudo que contou com a participação de investigadores do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) concluiu que o consumo excessivo de álcool constitui um fator de risco para o desenvolvimento de tuberculose em inpíduos do sexo masculino.

Segundo apurou a agência Lusa, o estudo contou com uma amostra de 289 inpíduos, 50,5% dos quais eram homens e 49,95% mulheres, com idades compreendidas entre os 19 e 87 anos, pertencentes à região Norte de Portugal.

O estudo tinha como objetivo traçar o limiar a partir do qual o consumo de álcool aumentava o risco de desenvolvimento de tuberculose em homens e mulheres.

Segundo Raquel Duarte, da Unidade de Investigação em Epidemiologia (EPIUnit) do ISPUP e uma das responsáveis pela investigação, “o estudo corrobora o facto de o consumo exagerado de álcool aumentar o risco de tuberculose e estima, pela primeira vez, que os homens com um consumo diário superior a quatro ou mais bebidas alcoólicas têm um risco de desenvolver tuberculose quatro vezes maior do que aqueles que mantêm um consumo inferior”.

Os resultados apontam para uma relação entre o consumo exagerado de álcool e o desenvolvimento de tuberculose na população masculina.

Adicionalmente, constatou-se que “os homens mais jovens e em situação de desemprego apresentavam maior probabilidade de desenvolverem a doença”. Relativamente às mulheres, os investigadores não encontraram uma associação significativa entre o consumo exagerado de álcool e a tuberculose.

Os investigadores defendem que algumas medidas políticas, como o aumento da taxa sobre bebidas alcoólicas e um controlo mais rigoroso ao seu acesso, poderiam contribuir para reduzir os problemas associados ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Adicionalmente, “a aposta em estudos de prevenção e em intervenções de tratamento para inpíduos alcoólicos deveriam ser uma prioridade”, consideram os autores do estudo.

Além de Raquel Duarte, participaram também no estudo João Francisco, do Centro Hospitalar do Porto, Olena Oliveira, da EPIUnit do ISPUP, Óscar Felgueiras, da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) e Rita Gaio, também da FCUP.

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

8aaa9e5907.jpeg

ULS de Castelo Branco realiza jornadas a 24 de fevereiro.

A Unidade Local de Sa√ļde de Castelo Branco vai realizar, dia 24 de fevereiro, das 9 √†s 16h30, as 1.¬™s Jornadas da Qualidade, no audit√≥rio do Instituto Polit√©cnico de Castelo Branco.

As jornadas visam promover a partilha de conhecimentos e experi√™ncias, atendendo ao facto de a ULS de Castelo Branco ter j√° a acredita√ß√£o de quatro servi√ßos pelo modelo de qualidade ACSA (Agencia de Calidad Sanitaria de Andaluc√≠a), adotado pelo Minist√©rio da Sa√ļde para acredita√ß√£o das unidades de sa√ļde, e estar a preparar outros quatro servi√ßos para se seguirem, um dos quais pertence aos cuidados de sa√ļde prim√°rios.

Por outro lado, a unidade é também detentora da certificação do Serviço de Patologia Clínica, pelo referencial da ISO 9001-2008, estando na transição para a norma 2015.

No que respeita √† classifica√ß√£o atribu√≠da pela Entidade Reguladora da Sa√ļde, baseada no referencial da Joint Commission International, a ULS de Castelo Branco manteve a excel√™ncia em todos os servi√ßos cl√≠nicos que entraram na avalia√ß√£o.

Temas em destaque

  • Qualidade em sa√ļde: defini√ß√£o e implementa√ß√£o ‚Äď Os diferentes referenciais normativos
  • Qualidade e seguran√ßa da presta√ß√£o de cuidados de sa√ļde: Orienta√ß√Ķes estrat√©gicas nacionais
  • Qualidade e seguran√ßa da presta√ß√£o de cuidados de sa√ļde: certifica√ß√£o das unidades de sa√ļde
  • Qualidade e seguran√ßa do doente em cuidados paliativos
  • Lideran√ßa, estrat√©gia e inova√ß√£o na base de qualidade
  • Avalia√ß√£o da qualidade em sa√ļde, uma abordagem multidimensional
  • A qualidade direcionada aos prestadores de cuidados de sa√ļde
  • Os interessados dever√£o efetuar a sua inscri√ß√£o at√© ao pr√≥ximo domingo, atrav√©s do site da ULS de Castelo Branco.

Para saber mais, consulte:

Unidade Local de Sa√ļde de Castelo Branco, EPE ‚Äď http://www.ulscb.min-saude.pt/

Fonte original: SNS – Servi√ßo Nacional de Sa√ļde

df26cc5d82.jpeg

O presidente do INEM, Luís Meira, reconheceu o aumento do tempo de atendimento das chamadas de emergência, justificando-o com o aumento do número de pedidos de socorro e a diminuição dos recursos humanos, mas garantiu que a situação já melhorou.

Segundo apurou a agência Lusa, dados do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) indicam que em 2016 foram atendidas nos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM 1.370.348 chamadas, com uma média de 3.744 por dia. O tempo médio de atendimento aumentou de 14 segundos em 2014 para 17 segundos em 2015 e 18 segundos em 2016.

Segundo o INEM, registou-se um aumento muito significativo do número de chamadas de emergência desde outubro de 2016. Só no último trimestre do ano passado, foram recebidas mais cerca de 255 chamadas por dia face ao período homólogo de 2015. Também no último trimestre de 2016 foram acionados por dia mais cerca de 250 meios de emergência médica face ao período homólogo de 2015.

O Instituto atribui “o aumento dos tempos de atendimento e da atividade dos meios de emergência médica” ao “aumento das chamadas de emergência recebidas no CODU como resultado do aumento da procura de cuidados de saúde e, de um modo particularmente evidente nos meses de dezembro e janeiro, pela atividade gripal”.

Luís Meira anunciou, entretanto, que neste mês de fevereiro o tempo de atendimento já diminuiu e estará a situar-se nos 13 segundos. Segundo o presidente do INEM, a diminuição de recursos humanos disponíveis também contribuiu para estas dificuldades, recordando que, no passado mês de janeiro, dos 1.721 lugares previstos, estavam ocupados apenas 1.279, o que representa um défice de 442 trabalhadores.

O presidente do INEM ressalvou ainda que nos meses mais críticos em termos de chamadas de emergência recebidas, também foi assinalado um aumento do absentismo, para o qual contribuiu a atividade gripal que afetou alguns funcionários.

A greve às horas extraordinárias, ainda que com “uma adesão não significativa”, também agrava as dificuldades nesta área, disse.

Luís Meira reconheceu ainda que a frota do INEM está “envelhecida e com muitos quilómetros”. Por esta razão, “foi dada prioridade para os processos de renovação de frota”, que são “difíceis e morosos”, em virtude das normas e constrangimentos que afetam a administração pública.

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

2d4d9cb156.png

A DGS e o Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME) assinaram um acordo para melhorar a evid√™ncia dos n√≠veis e tend√™ncias da sa√ļde em Portugal, em termos nacionais e, ao longo do tempo, aprofundar a um n√≠vel cada vez mais detalhado.
 
O Memorando de entendimento (MOU) entre as duas entidades foi assinado hoje entre o Diretor-Geral da Sa√ļde, Francisco George, e o Diretor de Global Engagement do IHME, da Universidade de Washington, sediado em Seattle, William Heisel.
 
Em conjunto, o IHME e a DGS pretendem melhorar as estimativas da carga da doen√ßa, les√Ķes e fatores de risco para Portugal, a um n√≠vel subnacional, usando m√©todos consistentes com o Global Burden of Disease Study (GBD), uma colabora√ß√£o internacional que √© coordenada pelo IHME e que, presentemente, inclui mais de 2 000 investigadores a n√≠vel mundial.
 
Portugal é, a partir de hoje, o décimo país, entre 195 participantes, a assinar este tipo de acordo, tornando-se assim pioneiro na região e no mundo. De entre outros participantes destacam-se o Reino Unido, a Noruega, a Suécia e o Brasil.
 
O trabalho do Instituto e os resultados da Carga Global da Doen√ßa s√£o utilizados regularmente por organiza√ß√Ķes com grande influ√™ncia pol√≠tica, incluindo o Banco Mundial, os Institutos Nacionais de Sa√ļde dos EUA, o Welcome Trust, e os governos em todo o Mundo.
 
O IHME √© um centro mundial de investiga√ß√£o, na Universidade de Washington, que disponibiliza m√©tricas independentes, rigorosas, e compar√°veis dos problemas de sa√ļde mais importantes do mundo e avalia as estrat√©gias utilizadas para a√≠ se chegar. O principal objetivo e linha de orienta√ß√£o do IHME √© o de criar um mapa completo e atualizado para ajudar os decisores pol√≠ticos e outros interessados (stakeholders) a criar condi√ß√Ķes para permitir aos seres humanos vidas mais longas e saud√°veis.

Fonte Original: Dire√ß√£o-Geral de Sa√ļde