Raio:

Concursos

Logo-Di√°rio-da-Rep√ļblica

Aviso n.¬ļ 9054/2017

Dr. Eduardo Nuno Rodrigues Pinheiro, Presidente da C√Ęmara Municipal de Matosinhos, faz p√ļblico que:

1 – Por delibera√ß√£o da C√Ęmara Municipal, em reuni√£o ordin√°ria realizada em 11 de julho de 2017 conforme previsto nos artigos 4.¬ļ e 9.¬ļ do Decreto-Lei n.¬ļ 209/2009, de 3 de setembro, que aqui se transcreve, por extrato:”deliberou, por unanimidade, aprovar a abertura dos procedimentos concursais para contrata√ß√£o de um t√©cnico superior (√°rea de Psicologia) e de um t√©cnico superior (√°rea da Terapia da Fala) para a Gest√£o de Projetos Educativos (dire√ß√£o interm√©dia de 3.¬ļ grau) e de um t√©cnico superior (√°rea das Ci√™ncias da Nutri√ß√£o), para a Gest√£o de Recursos Educativos (dire√ß√£o interm√©dia de 3.¬ļ grau), em regime de contrato de trabalho em fun√ß√Ķes p√ļblicas, por tempo determinado.”, ao abrigo do disposto no n.¬ļ 4 do artigo 30.¬ļ e artigo 33.¬ļ, da Lei Geral do Trabalho em Fun√ß√Ķes P√ļblicas, aprovada pela Lei n.¬ļ35/2014, de 20 de junho, conjugado com os artigos 3.¬ļ, 4.¬ļ e 19.¬ļ, da Portaria n.¬ļ 83-A/2009, de 22 de janeiro, com as altera√ß√Ķes decorrentes da Portaria n.¬ļ 145-A/2011, de 6 de abril, o n.¬ļ 3 do artigo 10.¬ļ da Lei n.¬ļ 12-A/2010 de 30 de junho e a Lei n.¬ļ 42/2016, de 28 de dezembro.

2 – Consultada a entidade centralizada para constitui√ß√£o das reservas de recrutamento (INA) foi-nos transmitido, a 7 de julho de 2017, que: “N√£o tendo, ainda, decorrido qualquer procedimento concursal para constitui√ß√£o de reservas de recrutamento, declara-se a inexist√™ncia, em reserva de recrutamento, de qualquer candidato com o perfil adequado”.

3 – Consultada tamb√©m a AMP, enquanto Entidade Gestora da Requalifica√ß√£o nas Autarquias Locais (EGRA), nos termos do artigos 16.¬ļ e 16.¬ļ-A do Decreto-Lei n.¬ļ 209/2009, de 3 de dezembro, foi prestada a seguinte informa√ß√£o a 19 de julho de 2017: “A AMP n√£o constituiu a EGRA para os seus munic√≠pios, devendo ser aplicado o regime subsidi√°rio previsto no artigo 16.¬ļ-A do DL 209/2009, alterado pela Lei n.¬ļ 80/2013, de acordo com a informa√ß√£o da DGAL e homologado pelo Senhor Secret√°rio de Estado da Administra√ß√£o Local, em 15 de julho de 2014.”.

4 – Pelo exposto, encontram-se abertos os seguintes procedimentos concursais comuns para contrata√ß√£o por tempo determinado (termo resolutivo certo), pelo per√≠odo de 1 ano, e constitui√ß√£o de reservas de recrutamento, nos termos da al√≠nea e) e h), n.¬ļ 1, do artigo 57.¬ļ, da Lei do Trabalho em Fun√ß√Ķes P√ļblicas, com vista ao preenchimento dos seguintes postos de trabalho:

Concurso A – 1 t√©cnico superior (√°rea de Psicologia) para a Gest√£o de Projetos Educativos (dire√ß√£o interm√©dia de 3.¬ļ grau);

Concurso B – 1 um t√©cnico superior (√°rea da Terapia da Fala) para a Gest√£o de Projetos Educativos (dire√ß√£o interm√©dia de 3.¬ļ grau);

Concurso C – 1 t√©cnico superior (√°rea das Ci√™ncias da Nutri√ß√£o), para a Gest√£o de Recursos Educativos (dire√ß√£o interm√©dia de 3.¬ļ grau).

5 – √āmbito do recrutamento: nos termos do n.¬ļ 4, do artigo 30.¬ļ e artigo 35.¬ļ da Lei Geral do Trabalho em Fun√ß√Ķes P√ļblicas (LTFP), anexo da Lei n.¬ļ 35/2014, de 20 de junho, e em resultado de parecer favor√°vel por delibera√ß√£o da C√Ęmara Municipal, os recrutamentos s√£o abertos a trabalhadores com rela√ß√£o jur√≠dica de emprego p√ļblico por tempo indeterminado, trabalhadores com v√≠nculo de emprego p√ļblico a termo ou sem v√≠nculo de emprego p√ļblico.

6 РCaracterização dos postos de trabalho, em conformidade com o estabelecido no mapa de pessoal aprovado:

Concurso A – 1 t√©cnico superior (√°rea de Psicologia) para a Gest√£o de Projetos Educativos (dire√ß√£o interm√©dia de 3.¬ļ grau) – Proceder √† implementa√ß√£o/monitoriza√ß√£o do Projeto Educativo Municipal; Implementar, acompanhar e monitorizar o Contrato de Educa√ß√£o e Forma√ß√£o Municipal; Proceder √† gest√£o de projetos pedag√≥gicos nos v√°rios n√≠veis de ensino em articula√ß√£o com os agrupamentos escolares/escolas; Proceder √† gest√£o de projetos de educa√ß√£o para a sa√ļde em ambiente escolar; Efetuar o interface com os projetos da divis√£o de Promo√ß√£o Social e Sa√ļde e ULSM; Proceder √† tramita√ß√£o de todos os procedimentos inerentes √† dire√ß√£o interm√©dia; O exerc√≠cio, em geral, de compet√™ncias que a lei atribua ou venha a atribuir ao Munic√≠pio relacionadas com as descritas nas al√≠neas anteriores;

Concurso B – 1 um t√©cnico superior (√°rea da Terapia da Fala) para a Gest√£o de Projetos Educativos (dire√ß√£o interm√©dia de 3.¬ļ grau) – Avaliar precocemente crian√ßas em risco de desenvolverem perturba√ß√Ķes da linguagem que, consequentemente, podem inibir as aprendizagens escolares; intervir em contexto escolar junto de crian√ßas sinalizadas com d√©fices de linguagem e fala; articular a interven√ß√£o com educadores, professores do 1.¬ļ CEB e pais, de modo a adequar as estrat√©gias de aprendizagem a cada caso; desenvolver forma√ß√£o para docentes, n√£o docentes e pais sobre a promo√ß√£o do desenvolvimento lingu√≠stico; intervir no √Ęmbito do PEM, nomeadamente na Educa√ß√£o Especial;

Concurso C – 1 t√©cnico superior (√°rea das Ci√™ncias da Nutri√ß√£o), para a Gest√£o de Recursos Educativos (dire√ß√£o interm√©dia de 3.¬ļ grau) – Promover a Educa√ß√£o Alimentar: Monitorizar o servi√ßo de refei√ß√Ķes nos estabelecimentos de ensino (jardins-de-inf√Ęncia e escolas do 1.¬ļ ciclo); elaborar as ementas gerais e espec√≠ficas para o 1.¬ļ ciclo e pr√©-escolar; vistoriar as condi√ß√Ķes higienosanit√°rias das cozinhas e refeit√≥rios escolares do pr√©-escolar e 1.¬ļ ciclo; organizar o fornecimento de refei√ß√Ķes gratuitas a alunos carenciados nas interrup√ß√Ķes letivas; desenvolver e gerir os procedimentos relativos √† aquisi√ß√£o de refei√ß√Ķes escolares e fruta escolar; monitorizar a implementa√ß√£o do Regime de Fruta Escolar; elaborar as candidaturas ao financiamento do Regime de Fruta Escolar; an√°lise dos processos de A√ß√£o Social Escolar para atribui√ß√£o de escal√Ķes; gest√£o da plataforma inform√°tica das refei√ß√Ķes escolares; an√°lise das d√≠vidas das refei√ß√Ķes escolares; colabora√ß√£o em projetos de educa√ß√£o alimentar nas escolas do concelho.

6.1 – Local de trabalho: as fun√ß√Ķes ser√£o exercidas nos Pa√ßos do Concelho e agrupamentos de escolas na √°rea do munic√≠pio de Matosinhos.

7 – Requisitos de admiss√£o: os previstos no artigo 17.¬ļ da Lei Geral do Trabalho em Fun√ß√Ķes P√ļblicas (LTFP), anexo da Lei n.¬ļ 35/2014, de 20 de junho:

a) Nacionalidade portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, Convenção internacional ou lei especial;

b) 18 anos de idade completos;

c) N√£o inibi√ß√£o do exerc√≠cio de fun√ß√Ķes p√ļblicas ou n√£o interdi√ß√£o para o exerc√≠cio daquelas que se prop√Ķe desempenhar;

d) Robustez f√≠sica e perfil ps√≠quico indispens√°veis ao exerc√≠cio das fun√ß√Ķes;

e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.

Não podem ser admitidos candidatos que, cumulativamente, se encontrem integrados na carreira, sejam titulares da categoria e não se encontrando em mobilidade, ocupem postos de trabalho previstos no mapa de pessoal do órgão ou serviço idênticos aos postos de trabalho para cuja ocupação se publicita o procedimento.

7.1 РNível habilitacional exigido e área de formação académica ou profissional:

Concurso A – Licenciatura na √°rea de Psicologia;

Concurso B – Licenciatura na √°rea da Terapia da Fala;

Concurso C РLicenciatura na área das Ciências da Nutrição.

7.2 РRequisitos legais especialmente previstos para a titularidade da categoria: apenas poderão ser candidatos aos procedimentos quem seja titular do nível habilitacional.

7.3 РOs candidatos devem reunir os requisitos referidos até à data limite de apresentação das respetivas candidaturas.

8 – Prazo e forma de apresenta√ß√£o da candidatura: as candidaturas ser√£o apresentadas no prazo de 10 dias √ļteis contados da data da publica√ß√£o no Di√°rio da Rep√ļblica, em suporte de papel, designadamente atrav√©s do preenchimento integral de formul√°rio tipo, de utiliza√ß√£o obrigat√≥ria, sob pena de exclus√£o, (vide Despacho n.¬ļ 11321/2009, publicado no Di√°rio da Rep√ļblica, 2.¬™ s√©rie, 8 de maio de 2009), conforme artigo 27 da Portaria 83-A/2009, de 22 de janeiro, na sua atual reda√ß√£o e dispon√≠vel na p√°gina da Internet da entidade que promove o concurso.

8.1 – A candidatura dever√° ser apresentada em suporte de papel, atrav√©s de correio registado, com aviso de rece√ß√£o, para o endere√ßo postal da C√Ęmara Municipal de Matosinhos e acompanhada com o respetivo formul√°rio e seguintes documentos, sob pena de exclus√£o: fotoc√≥pias, de certificado das habilita√ß√Ķes liter√°rias; identifica√ß√£o dos dados do bilhete de identidade/Cart√£o de Cidad√£o (atualizados), ou c√≥pia do documento (se preferir); n√ļmero de identifica√ß√£o fiscal e curr√≠culo vitae, que n√£o exceda tr√™s folhas A4 datilografadas e declara√ß√£o atualizada emitida pelo servi√ßo p√ļblico a que se encontra vinculado, em que conste a natureza da rela√ß√£o jur√≠dica de emprego p√ļblico, a carreira/categoria em que se encontra inserido, posi√ß√£o remunerat√≥ria que det√©m √† presente data, atividade que executa e √≥rg√£o ou servi√ßo onde exerce fun√ß√Ķes, as men√ß√Ķes de desempenho obtidas nos √ļltimos tr√™s anos e descri√ß√£o do posto de trabalho que atualmente ocupa. Os trabalhadores do Munic√≠pio de Matosinhos n√£o precisam de apresentar a declara√ß√£o emitida pelo servi√ßo p√ļblico.

8.2 – No caso de candidatos com defici√™ncia, devem declarar no requerimento de admiss√£o, sob compromisso de honra, o respetivo grau de incapacidade e tipo de defici√™ncia, e anexar fotoc√≥pia de atestado m√©dico de incapacidade, passado pela Administra√ß√£o Regional de Sa√ļde, para os candidatos portadores de defici√™ncia igual ou superior a 60 %.

8.3 РLocal e endereço postal onde deve ser apresentada a candidatura:

As candidaturas dever√£o ser enviadas pelo correio, sob registo, para a seguinte morada: C√Ęmara Municipal de Matosinhos, Departamento de Recursos Humanos, Avenida D. Afonso Henriques, 4454-510 Matosinhos.

9 РMétodos de Seleção РOs Métodos de Seleção a utilizar serão, para os três procedimentos:

a) Avaliação curricular, integrando os seguintes elementos:

HAB РHabilitação académica: onde se pondera a habilitação detida, ou titularidade de grau académico ou nível de qualificação certificado pelas entidades competentes.

Habilita√ß√Ķes liter√°rias de grau exigido √† candidatura (Licenciatura) – 18 valores;

Habilita√ß√Ķes liter√°rias de grau superior exigido √† candidatura – 20 valores.

Formação profissional: O fator formação profissional (FP) tem a seguinte pontuação:

Nenhuma unidade de crédito: 8 valores;

De 1 a 2 unidades de crédito: 10 valores;

De 3 a 5 unidades de crédito: 12 valores;

De 6 a 8 unidades de crédito: 14 valores;

De 9 a 11 unidades de crédito: 16 valores;

Mais de 12 unidades de crédito: 20 valores.

As a√ß√Ķes de forma√ß√£o s√£o convertidas em unidades de cr√©dito, considerando que 1 dia corresponde a 7 horas, de acordo com a tabela seguinte:

(ver documento original)

Para efeitos do c√°lculo do fator forma√ß√£o profissional (FP) apenas relevam os cursos e a√ß√Ķes de forma√ß√£o frequentados adequadas √†s fun√ß√Ķes a exercer, n√£o podendo a pontua√ß√£o total a atribuir neste fator ser superior a 20 valores. Apenas ser√£o consideradas as a√ß√Ķes de forma√ß√£o comprovadas atrav√©s de c√≥pia do respetivo certificado.

Experiência Profissional (EP) será ponderada da seguinte forma:

Sem experiência profissional Р10 valores;

Menos de um ano – 12 valores;

Entre um e dois anos – 14 valores;

Entre três e quatro anos Р16 valores;

Entre cinco e seis anos – 18 valores;

Mais de seis anos – 20 valores.

No caso de ultrapassar um período, cai no imediatamente seguinte.

Para a an√°lise da experi√™ncia profissional apenas ser√° levado em conta o per√≠odo de tempo em que os candidatos exerceram fun√ß√Ķes adequadas √†s tarefas a exercer e dever√° ser devidamente comprovada.

Avalia√ß√£o de Desempenho (AD), devidamente comprovada, em que se pondera a avalia√ß√£o relativa ao √ļltimo per√≠odo n√£o superior a 3 anos, em que o candidato cumpriu ou executou atribui√ß√£o, compet√™ncia ou atividade id√™nticas √† do posto de trabalho a ocupar e ser√° ponderada, atrav√©s da respetiva m√©dia, da seguinte forma:

4,5 a 5 РExcelente/4 a 5 РMérito Excelente Р20 valores;

4 a 4,4 – Muito Bom/4 a 5 – Desempenho Relevante – 16 valores;

3 a 3,9 Bom/2 a 3,999 Desempenho Adequado – 12 valores;

1 a 1,9 – Insuficiente ou 2 a 2,9 – Necessita de Desenvolvimento/1 a 1,999 – Desempenho Inadequado – 8 valores.

Para os candidatos que não possuam avaliação de desempenho relativa ao período a considerar, será atribuída a nota de 12 valores.

Avaliação Curricular será ponderada da seguinte forma:

AC = HAB (15 %) + FP(30 %) + EP(30 %) + AD(25 %), em que:

AC = Avaliação Curricular

HAB = Habilitação Académica

FP = Formação Profissional

EP = Experiência Profissional

AD = Avaliação de Desempenho

b) Entrevista de avalia√ß√£o de compet√™ncias – Visa obter atrav√©s de uma rela√ß√£o interpessoal, informa√ß√Ķes sobre comportamentos profissionais diretamente relacionados com as compet√™ncias consideradas essenciais para o exerc√≠cio da fun√ß√£o.

9.1 РCada um dos métodos utilizados é eliminatório pela ordem enunciada e será excluído o candidato que obtenha uma valoração inferior a 9,5 valores num dos métodos ou fases, não lhe sendo aplicado o método seguinte. A ordenação final dos candidatos que completem o procedimento será efetuada numa escala de 0 a 20 valores e resultará da ponderação da seguinte fórmula:

OF = AC (50 %) + EAC (50 %)

em que:

OF РOrdenação Final

AC РAvaliação Curricular

EAC РEntrevista de Avaliação de Competências

9.2 – Por raz√Ķes de celeridade, uma vez que o recrutamento √© urgente, ser√° faseada a utiliza√ß√£o dos m√©todos de sele√ß√£o, da seguinte forma: aplica√ß√£o do segundo m√©todo de sele√ß√£o (Entrevista de Avalia√ß√£o de Compet√™ncias) apenas a parte dos candidatos aprovados no m√©todo anterior, a convocar por tranches sucessivas de candidatos, por ordem decrescente de classifica√ß√£o, respeitando a prioridade legal at√© √† satisfa√ß√£o das necessidades dos servi√ßos.

10 – Composi√ß√£o dos J√ļris:

Concurso A e B:

Presidente РProf. António Lopes, chefe de divisão de Educação;

Vogais Efetivos – Dr.¬™ Joana Cruz, dirigente interm√©dia de 3.¬ļ grau da unidade org√Ęnica Gest√£o de Projetos Educativos e Dr.¬™ Rute Rijo, chefe de divis√£o de Gest√£o de Recursos Humanos;

Vogais suplentes – Dr.¬™ Cristina Andrade, diretora de departamento de Recursos Humanos e Dr.¬™ Joana Aguiar, dirigente interm√©dia de 3.¬ļ grau da unidade org√Ęnica Gest√£o de Recursos Educativos.

Concurso C:

Presidente РProf. António Lopes, chefe de divisão de Educação;

Vogais Efetivos – Dr.¬™ Joana Aguiar, dirigente interm√©dia de 3.¬ļ grau da unidade org√Ęnica Gest√£o de Recursos Educativos e Dr.¬™ Rute Rijo, chefe de divis√£o de Gest√£o de Recursos Humanos;

Vogais suplentes – Dr.¬™ Cristina Andrade, diretora de departamento de Recursos Humanos e Dr.¬™ Joana Cruz, dirigente interm√©dia de 3.¬ļ grau da unidade org√Ęnica Gest√£o de Projetos Educativos.

10.1 – O J√ļri pode socorrer-se de outros elementos/entidades para a realiza√ß√£o de alguns dos m√©todos de sele√ß√£o que dada a sua especificidade assim o exijam.

10.2 – Assiste ao J√ļri a faculdade de exigir a qualquer candidato, em caso de d√ļvida sobre a situa√ß√£o que descreve no seu curr√≠culo, a apresenta√ß√£o de documentos comprovativos das suas declara√ß√Ķes.

10.3 – Atas do J√ļri – Das atas do J√ļri constam os par√Ęmetros de avalia√ß√£o e respetiva pondera√ß√£o de cada um dos m√©todos de sele√ß√£o a utilizar, a grelha classificativa e o sistema de valora√ß√£o final do m√©todo, s√£o facultadas aos candidatos sempre que solicitadas.

11 – Notifica√ß√Ķes e forma de publicita√ß√£o da lista unit√°ria de ordena√ß√£o final dos candidatos – As notifica√ß√Ķes, convocat√≥rias para aplica√ß√£o dos m√©todos de sele√ß√£o e publicita√ß√£o dos resultados obtidos em cada m√©todo de sele√ß√£o s√£o efetuadas de acordo com o n.¬ļ 3 do artigo 30.¬ļ da Portaria n.¬ļ 83-A/2009, de 22 de janeiro, na sua atual reda√ß√£o, e atrav√©s de lista, ordenada alfabeticamente, afixada em local vis√≠vel e p√ļblico das instala√ß√Ķes da C√Ęmara Municipal de Matosinhos e disponibilizada na sua p√°gina eletr√≥nica.

11.1 РA morada a considerar para efeitos de notificação dos candidatos será a constante do formulário de candidatura.

11.2 – A lista de ordena√ß√£o final dos candidatos aprovados √© unit√°ria, e efetuada de acordo com a escala classificativa de 0 a 20 valores, em resultado da m√©dia aritm√©tica ponderada das classifica√ß√Ķes quantitativas obtidas em cada m√©todo de sele√ß√£o.

12 – Em situa√ß√Ķes de igualdade de valora√ß√£o, ser√£o aplicados os crit√©rios definidos no artigo 35.¬ļ da Portaria 83-A/2009, de 22 de janeiro, na sua atual reda√ß√£o, subsistindo a igualdade, a prefer√™ncia de valora√ß√£o ser√° feita pela seguinte ordem: candidato(a) com habilita√ß√£o acad√©mica/liter√°ria superior; candidato(a) com mais dias de experi√™ncia profissional na √°rea; candidato(a) com mais horas totais de forma√ß√£o profissional na √°rea.

13 – Posicionamento remunerat√≥rio: De acordo com o estabelecido no artigo 38.¬ļ da LTFP e Lei do Or√ßamento de Estado em vigor, a posi√ß√£o remunerat√≥ria de refer√™ncia para a carreira e categoria de t√©cnico superior √© a 2.¬™ posi√ß√£o remunerat√≥ria, n√≠vel 15 da tabela remunerat√≥ria √ļnica, remunera√ß√£o de 1.201,48(euro).

14 – Aos candidatos com defici√™ncia √©-lhes garantido o direito estipulado no artigo 3.¬ļ do Decreto-Lei n.¬ļ 29/2001, de 3 de fevereiro, conforme o n√ļmero de postos de trabalho a preencher devendo os mesmos declarar, no requerimento de admiss√£o, sob compromisso de honra, o respetivo grau de incapacidade, o tipo de defici√™ncia e os meios de comunica√ß√£o/express√£o a utilizar no processo de sele√ß√£o.

15 – Em cumprimento da al√≠nea h) do artigo 9.¬ļ da Constitui√ß√£o, a Administra√ß√£o P√ļblica, enquanto entidade empregadora, promove ativamente uma pol√≠tica de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres no acesso ao emprego e na progress√£o profissional, providenciando escrupulosamente no sentido de evitar toda e qualquer forma de discrimina√ß√£o.

28-07-2017. – O Presidente da C√Ęmara, Dr. Eduardo Pinheiro.

310677967

Daqui

Unidade Local de Sa√ļde de Matosinhos, E. P. E.

Procedimento concursal comum para preenchimento de cinco postos de trabalho na categoria de Assistente da carreira especial médica, várias especialidades Рárea de exercício hospitalar

Continuar a Ler »

logo_chma_news

Consulte a lista de candidatos atualizada (¬†lista 1, lista 2¬†), com indica√ß√£o do respetivo local, data e hor√°rio para efeitos de Entrevista Profissional no √Ęmbito do Procedimento Concursal Urgente – Enfermeiros (M/F) e Procedimento Concursal Urgente para Constitui√ß√£o de Reserva de Recrutamento Enfermeiros (M/F), conforme determina√ß√£o do j√ļri do respetivo concurso.

NOTAS:

A entrevista √© √ļnica e v√°lida para os dois concursos.
Os candidatos devem dirigir-se ao Secretariado da Administração de Famalicão ou de Santo Tirso, conforme o local da respetiva entrevista.
Oportunamente ir√£o sendo publicitadas aqui as restantes listas e respetivas datas seguintes para a entrevista profissional.

2017-02-07_1745

O Centro Hospitalar Tr√°s-os-Montes e Alto Douro ‚Äď EPE (CHTMAD ‚Äď EPE) pretende constituir uma bolsa de candidatos para exerc√≠cio de fun√ß√Ķes de enfermeiro, em regime de contrato individual de trabalho (CIT por tempo indeterminado, a termo certo ou incerto), correspondente a uma carga hor√°ria semanal de 40 horas, em regime de trabalho por turnos, conforme preceitua o C√≥digo de Trabalho.

An√ļncio Aviso de Abertura
Ata 1 Formul√°rio de Candidatura

 

Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, E. P. E.

Procedimento concursal comum de acesso para recrutamento de pessoal médico para a categoria de um Assistente Graduado Sénior РMedicina Interna Рda carreira médica

Continuar a Ler »

Procedimento concursal comum para preenchimento de 2 postos de trabalho, da carreira especial de enfermagem, categoria de enfermeiro, no regime de contrato de trabalho em fun√ß√Ķes p√ļblicas, na modalidade de contrato a termo resolutivo certo.

Consultar: BEPA AÇORES

O Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, EPE, informa que se encontra aberto processo de recrutamento sumário, para a contratação de Enfermeiros, em regime de substituição, com vista a suprir carências prementes em vários serviços, motivadas pela ausência prolongada de profissionais de Enfermagem.

Prazo para Candidatura: 3 dias √ļteis ‚Äď entre os dias 31/01/2017 e 02/02/2017

Consulte:¬†An√ļncio Ref¬™04/ENF/2017

Centro Hospitalar e Universit√°rio de Coimbra, E. P. E.

Concurso Assistente Graduado Sénior de Medicina Interna

Continuar a Ler »

Servi√ßo de Sa√ļde da Regi√£o Aut√≥noma da Madeira, E. P. E.

Procedimento concursal comum, de recrutamento urgente, para constituição de relação jurídica de emprego privado sem termo, nos termos do Código do Trabalho e demais legislação laboral privada aplicável, destinado ao preenchimento de 1 (um) posto de trabalho na categoria de assistente da carreira médica, na área hospitalar Рespecialidade de Reumatologia

Continuar a Ler »

Centro Hospitalar do Algarve, E. P. E.

Procedimento Concursal Comum para preenchimento de um posto de trabalho na categoria de assistente graduado sénior de Cirurgia Geral

Continuar a Ler »