Raio:

Centro Hospitalar do Médio Tejo, E. P. E.

Procedimento concursal comum para preenchimento de dois postos de trabalho na categoria de Assistente de Gastrenterologia da carreira médica – área de exercício hospitalar

Continuar a Ler »

Centro Hospitalar do Porto, E. P. E.

Lista unitária de ordenação final

Continuar a Ler »

MovingPeople2

Marco Costa, 31 anos, embora natural de Vale de Cambra, estudou, vive e trabalha em Viseu há cerca de 12 anos. É licenciado em Marketing pela Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Teve experiências anteriores nas áreas de marketing e das novas tecnologias de informação até ter surgido em 2010 a oportunidade de iniciar a colaboração com a Moving People no recrutamento internacional de profissionais de saúde. Gosta de desporto e de música.

Emprego Saúde – Quando e como começou a trabalhar na área de recrutamento?

Marco Costa – Vi um anúncio num jornal da região onde pediam um recrutador, Não fazia ideia do que se tratava mas como me pareceu bem, candidatei-me. Não fazia ideia na altura da existência de empresas tão específicas na área de recrutamento de profissionais de saúde e com um método tao completo e seguro.

Iniciei funções na Moving People em 2010 numa fase onde eram ainda pouquíssimas as empresas de recrutamento internacional a operar em Portugal. Começamos com o recrutamento de Enfermeiros e até aos dias de hoje já recrutamentos mais de 200 Enfermeiros portugueses para trabalhar na Bélgica. Actualmente recrutamos Enfermeiros, Dentistas, Médicos Especialistas e Fisioterapeutas.

Emprego Saúde – Qual o atractivo e as dificuldades deste trabalho? Qual tem sido o posicionamento da sua empresa neste mercado?

Marco Costa – A parte mais atractiva é sem dúvida poder dar a oportunidade aos profissionais de terem um futuro melhor, quer em termos profissionais, quer também em termos pessoais. A conjuntura actual em Portugal não permite que isso possa acontecer no seu próprio País. Os indicadores de análise para o futuro dizem-nos que as coisas não vão alterar-se significativamente nos próximos anos, pelo que, optar por uma oportunidade fora do país acaba por fazer cada vez mais sentido e é por isso que existem empresas como a Moving People.

A dificuldade principal acaba por ser conseguir identificar os candidatos que estão realmente interessados nesta solução e que olham para ela como o plano A e não como um plano B. A Moving People destaca-se de todas as outras empresas no sentido em que tem a oportunidade de oferecer aos candidatos reais certezas de empregabilidade no país de destino. Tratando de todo o processo desde a parte burocrática da documentação exigida, passando por uma formação linguística competente, até ao acompanhamento do candidato após a sua chegada ao país de destino.

Emprego Saúde – Quais são as oportunidades e ameaças neste momento para um profissional de saúde que queira migrar?

Marco Costa – As oportunidades são imensas. Contudo, desengane-se aquele que pensa que mudar para outro País é fácil, mesmo com o apoio de uma empresa. Creio que o profissional terá que escolher um País que lhe garanta a maior estabilidade possível em termos de empregabilidade e até procurar semelhanças nas técnicas desenvolvidas a nível profissional, mas não só. Os aspectos sociais, culturais e até políticos são importantíssimos. Veja-se por exemplo o que está a acontecer no Reino Unido, com toda a instabilidade sentida neste momento.

Penso que as principais ameaças serão para além deste tipo de situações de instabilidade, situações onde as técnicas profissionais acabam por se revelar diferentes daquilo que acontece em Portugal ou onde o sistema de saúde do país de destino exija formações suplementares para que o profissional possa exercer as suas funções. Isto poderá causar desconforto e até alguma frustração ao profissional, aumentando assim a probabilidade de inadaptação.

Emprego Saúde – O Reino Unido tem sido um destino de eleição para profissionais portugueses. Que razões estão na base dessa escolha? Que feedback obtém dos candidatos colocados e dos empregadores?

Marco Costa – Os profissionais acabam por dar alguma preferência ao Reino Unido penso que devido à questão linguística. Muitos candidatos sabem falar o Inglês ou têm bases que lhes permitem aprender a língua com alguma facilidade.

A Moving People não recruta para o Reino Unido por opção própria. Esta opção está em parte relacionada com o que acabei de dizer na questão anterior. As diferenças nas técnicas profissionais, as exigências do próprio sistema de saúde e a esta fase de instabilidade devido ao “Brexit, fazem com que, na minha opinião, não seja de todo a melhor opção para os profissionais de saúde portugueses.

Emprego Saúde – Como está a evoluir o mercado de recrutamento e mobilidade internacional?

Marco Costa –  Creio que cada vez há mais oportunidades para outros profissionais de saúde um pouco por toda a Europa Central que não apenas para Enfermeiros e algumas das empresas de recrutamento internacional têm estado atentas a essa situação.

Emprego Saúde –  Quais os pormenores que um candidato que procure emprego fora de Portugal não pode descurar?

Marco Costa –  Penso que o candidato deverá procurar informação fidedigna sobre as empresas e tentar obter feedbacks reais dos candidatos já colocados por essa empresa. É a única forma de sentir seguro quanto à empresa de recrutamento escolhida. E por último e mais uma vez, escolher um País que lhe traga garantias reais de estabilidade.

Emprego Saúde – Que conselho daria a um jovem que está no último ano do curso de formação de base?

Marco Costa – Penso que deve colocar várias opções em cima da mesa e estuda-las cuidadosamente. É legítimo que o jovem mal termine o curso tenha esperanças em ter sucesso profissional em Portugal. Mas se sentir que isso não vai acontecer, ou que as probabilidades de isso acontecer são baixas, não perca tempo e vá à procura de soluções.

Emprego Saúde –  Que história recorda com mais satisfação no seu percurso como profissionais e recursos humanos?

Marco Costa – Felizmente a Moving People tem imensos casos de sucesso, que seriam passíveis de destaque. Contudo, posso falar-lhes de um casal de Enfermeiros (o Renato Gonçalves e a Andreia Rio) que se casaram pouco tempo antes de irem para a Bélgica e são neste momento um caso de total sucesso. Trabalham num Hospital em Bruxelas há cerca de 4 anos e estão extremamente satisfeitos a nível profissional e pessoal, ele trabalha no Bloco Operatório ela em Cuidados Intensivos. Estão completamente estabelecidos. Já têm um filho, vão ter outro brevemente, já compraram casa.. e tudo isto porquê? Porque escolheram um País que lhes garante estabilidade…e porque.. escolheram a Moving People (risos),

Sopatom270

DGS sugere receitas culinárias para o tempo quente. Arrisque!

A Direção-Geral da Saúde (DGS), através do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, sugere que, neste verão, aproveite para experimentar novas receitas saudáveis e saborosas.

De acordo com esta autoridade, existem muitos alimentos que raramente utilizamos na alimentação e uma das regras fundamentais para uma alimentação saudável é diversificar os alimentos o mais possível, de forma a ingerir o máximo de ingredientes possível, pois todos são importantes para a saúde.

Com esse objetivo, o Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável publicou no seu site um vasto número de receitas com alimentos, por vezes, pouco usados.

Para esta época tem como sugestão, por exemplo, um creme de tomate com funcho.

“Se encontrar este agradável e fresco alimento (funcho) aproveite para experimentar a receita proposta, desafia a DGS. O tomate e o funcho são uma opção muito saudável e nutritiva e têm um efeito muito benéfico na saúde”.

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável –www.alimentacaosaudavel.dgs.pt

Saúde – Administração Regional de Saúde do Norte, I. P.

Homologação da lista de classificação final relativa ao procedimento simplificado de seleção conducente ao recrutamento de pessoal médico para a categoria de assistente, da área profissional de Hematologia Clínica, a que se reporta o aviso n.º 5669-A/2016, de 02 de maio

Continuar a Ler »

MediCarrera

O seu nome é Cátia Cunha, tem 34 anos, é natural de Lisboa mas vive em Barcelona há cerca de 3 anos. É licenciada em Psicologia Social e das Organizações pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Lisboa.

Continuar a Ler »

Saúde – Administração Central do Sistema de Saúde, I. P.

Homologada a lista de classificação final dos candidatos do Júri n.º 13, da especialidade médica de Medicina Interna

Continuar a Ler »

Região Autónoma dos Açores – Secretaria Regional da Saúde – Direção Regional da Saúde – Unidade de Saúde da Ilha das Flores

Lista Final ao procedimento concursal para admissão a contrato em funções públicas por tempo indeterminado para um lugar da carreia de técnico de diagnóstico e terapêutica – área de terapia da fala

Continuar a Ler »

Unidade Local de Saúde do Alto Minho, E. P. E.

Nomeação do cargo de chefia para quatro enfermeiros

Continuar a Ler »

CHVNG-SITE

Gaia assume obras de reabilitação orçadas em mais de 140 mil euros.

A Unidade Materno-Infantil do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE (CHVNG/E) vai sofrer obras de requalificação, orçadas em mais de 140 mil euros, um investimento assumido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

A requalificação, que terá a duração de cerca de três meses, será feita em parceria com a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte) que, por sua vez, tentará compartilhar os custos com a Câmara de Espinho, avançando mesmo sem a colaboração desta neste processo que designa como prioritário.

No próximo mês de setembro, o Presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia garantiu que vai lançar o procedimento concursal.

Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE – http://www.chvng.pt/

Page 1 of 30212345Next ›Last »