Raio:

Último paciente internado em Rennes devido a ensaio clínico da Bial teve alta


Colocado por | Janeiro 22, 2016 | Notícias

investigalab

O √ļltimo paciente internado no Centro Hospitalar (CH) de Rennes na sequ√™ncia da participa√ß√£o num ensaio cl√≠nico de um novo medicamente da farmac√™utica portuguesa Bial em Fran√ßa teve hoje alta hospitalar, informou em comunicado a unidade de sa√ļde.

‚ÄúO √ļltimo paciente internado teve hoje alta hospitalar e pode regressar a casa, consequ√™ncia da melhoria do seu estado de sa√ļde. Os cuidados m√©dicos dos tr√™s pacientes transferidos para estabelecimentos pr√≥ximos das suas resid√™ncias [‚Ķ] foram definidos e coordenados pelo CH de Rennes. O estado de sa√ļde desses pacientes continua a melhorar‚ÄĚ, indica o hospital franc√™s no comunicado hoje divulgado.

As consultas de seguimento dos cinco pacientes que estiveram internados no CH de Rennes ser√£o feitas por esta unidade hospitalar.

Relativamente √†s restantes 84 pessoas que voluntariamente participaram no ensaio cl√≠nico do f√°rmaco da Bial, todos foram contactados pelo hospital franc√™s e 28 j√° realizaram um exame neurol√≥gico e uma resson√Ęncia magn√©tica cerebral.

‚ÄúAs anomalias cl√≠nicas e radiol√≥gicas apresentadas pelos pacientes hospitalizados n√£o foram encontradas‚ÄĚ, afirma a unidade hospitalar.

O hospital já agendou consultas e exames para 38 outros pacientes e 14 pessoas vão ser acompanhadas em unidades clínicas próximas das suas residências, em coordenação com o serviço de neurologia do CH de Rennes, adianta o comunicado.

O hospital faz um novo ponto de situação na próxima segunda-feira, 25 de janeiro.

Um participante no ensaio clínico, na fase I, morreu no domingo, depois de declarada morte cerebral.

Ao todo, foram hospitalizados seis voluntários, que, segundo a agência noticiosa francesa AFP, receberam a dose mais elevada da molécula produzida pela Bial, testada em França pelo laboratório Biotrial.

O ensaio cl√≠nico visava testar um novo medicamento para tratar perturba√ß√Ķes do humor como a ansiedade.

De acordo com um comunicado da Bial, o teste abrangeu 116 volunt√°rios saud√°veis, “dos quais 84 tomaram o composto experimental previamente, n√£o tendo apresentado qualquer efeito secund√°rio grave ou moderado”.

A farmac√™utica adianta que a medica√ß√£o foi suspensa “a todos os participantes no ensaio”, assim que tomou conhecimento de “um efeito adverso grave” num dos volunt√°rios, a 11 de janeiro.

A Bial reitera que est√° a colaborar com as autoridades e entidades francesas para o apuramento das causas do incidente, assegurando que “n√£o existe qualquer outro ensaio a decorrer com a mol√©cula experimental” e que, at√© ao apuramento das causas, “n√£o iniciar√° qualquer ensaio com este composto”.

Di√°rio Digital com Lusa

345 total de vistas, 3 hoje