Raio:

Todo o seu estilo de vida revelado numa amostra de sangue?


Colocado por | Março 13, 2018 | Notícias

Um novo estudo revelou que os utilizadores de “snus” apresentavam níveis significativamente mais elevados da proteína cornulina do que os não-utilizadores.

O “snus” é um tabaco em pó húmido e sem fumo sueco, para uso oral, que é colocado entre o lábio superior e a gengiva.

A relação entre o uso de “snus” e níveis mais elevados da proteína cornulina foi descoberta por uma equipa de investigadores da Universidade de Umeå, Suécia. Os investigadores não apuraram, no entanto, se a presença de níveis mais elevados daquela proteína por si só fazia aumentar o risco de doenças.

Robin Myte, investigador neste estudo avançou que “é importante conhecer este tipo de associação se queremos usar marcadores baseados no sangue para as doenças. Para alguns marcadores, pode-se ter que inpidualizar limites aceitáveis já que fatores do estilo de vida podem influenciar os níveis de base”.

A equipa procurou investigar se o estilo de vida pode ser refletido nos níveis de 160 proteínas diferentes presentes no sangue. O estudo foi baseado em amostras de sangue e em dados sobre o estilo de vida recolhidos durante exames efetuados a 138 participantes num programa de saúde sueco.

Foram recolhidas e analisadas duas amostras de sangue, com o intervalo de 10 anos entre cada. A equipa associou muitas proteínas a diferentes comportamentos relativos ao estilo de vida.

O achado mais forte foram os níveis significativamente mais elevados de cornulina nos utilizadores de “snus” em relação aos não-utilizadores, confirmado noutro estudo.

“Os marcadores de proteínas são uma ferramenta interessante para o diagnóstico e deteção precoce de doenças, mas os níveis das proteínas poderão variar devido a vários fatores diferentes. Foi por isso que pretendemos mapear alguma da variação «‘normal» ’ nos níveis das proteínas no nosso estudo”, explicou Robin Myte".

Os cientistas esperam que uma ou mais das proteínas incluídas no estudo possam um dia ser usadas para detetar e prognosticar doenças como o cancro, doenças cardiovasculares e a diabetes.

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

141 total de vistas, 1 hoje