Raio:

Restri├ž├Áes v├úo continuar mas Estado tem de responder a quem mais precisa – ministro da Sa├║de


Colocado┬ápor | Janeiro 8, 2016 | Not├şcias

PARTILHE
adalberto

O ministro da Sa├║de, Adalberto Campos Fernandes, avisou hoje que as restri├ž├Áes or├žamentais v├úo prolongar-se pelos pr├│ximos anos, mas frisa que o Estado tem a obriga├ž├úo de dar respostas a quem mais precisa.

Numa visita ao antigo Hospital Militar da Estrela, recentemente adquirido pela Santa Casa da Miseric├│rdia de Lisboa para cuidados continuados, o ministro da Sa├║de acentuou a necessidade de “pensar nas pessoas e encontrar solu├ž├Áes novas para velhos problemas”.

“Num quadro em que a escassez de recursos ├ę muito forte, n├│s n├úo temos infelizmente muito dinheiro, temos restri├ž├Áes or├žamentais que se v├úo prolongar para os pr├│ximos anos, mas temos obriga├ž├úo de responder por aquilo que os mais pobres necessitam”, afirmou Adalberto Campos Fernandes aos jornalistas, durante a visita ├ás instala├ž├Áes do antigo Hospital Militar da Estrela, em Lisboa.

Lembrando que o acesso a servi├žos como os de cuidados continuados ├ę um problema que resulta essencialmente do empobrecimento, envelhecimento e abandono social, o ministro sublinhou a import├óncia de projetos como os da Santa Casa da Miseric├│rdia de Lisboa.

Adalberto Campos Fernandes revelou ainda que est├í a estudar com o provedor da Santa Casa “novas ideias” que permitam p├┤r os jogos sociais a dar mais “est├şmulos e benef├şcios” ├á ├írea da sa├║de.

Diário Digital / Lusa

277 total de vistas, 6 hoje