Radius:

‚ÄúCirurgia em forma de comprimido‚ÄĚ poder√° tratar diabetes


Posted by | June 14, 2018 | News

Uma equipa de investigadores está a desenvolver um novo método oral que é diretamente administrado no intestino delgado evitando os picos de glicose no sangue após as refeições.

O novo método, que se demonstrou bem-sucedido em ensaios pré-clínicos em ratazanas, poderá vir a substituir a cirurgia bariátrica ou cirurgia da obesidade, um tipo de intervenção cirúrgica que além de tratar a obesidade, pode também reverter a diabetes de tipo 2 nos pacientes com ambas as doenças.

No entanto, apesar das melhorias substanciais na qualidade de vida e saúde do paciente oferecidas por aquela intervenção cirúrgica, a mesma continua a ser relativamente pouco procurada, segundo um dos investigadores do estudo, Ali Tavakkol, codiretor do Centro de Gestão do Peso e da Cirurgia Metabólica do Hospital Brigham and Women’s, EUA.

O investigador e colegas propuseram-se assim procurar um tratamento que fosse menos invasivo, mas eficaz como a cirurgia, de forma a encorajar mais pacientes obesos e com diabetes de tipo 2 a procurarem aquele tipo de tratamento.

A equipa começou por procurar um material que apresentasse as propriedades ideias de adesão ao intestino delgado, mas que se dissolvesse no espaço de algumas horas. O sucralfato, um fármaco usado no tratamento de úlceras gastrointestinais foi o material eleito.

O sucralfato foi modificado, tendo-se tornado num material com capacidade de revestir a parede intestinal, mas sem necessitar de ácido gástrico. Os investigadores batizaram-no de LuCI, que consiste nas iniciais de “Luminal Coating of the Intestine”, ou revestimento luminal do intestino. O LuCI pode ser transformado num pó e posto dentro de uma cápsula ingerível.

“O que desenvolvemos aqui é essencialmente, ‘cirurgia em forma de comprimido’”, explicou Yuhan Lee, cientista de materiais e coautor do estudo. “Utilizámos uma abordagem de bioengenharia para formular um comprimido que possuem boas propriedades de adesão e que consegue aderir bem ao intestino num modelo pré-clínico. E os seus efeitos dissipam-se umas horas mais tarde”, continuou.

Com efeito, os investigadores observaram que uma hora após a administração do LuCI em ratazanas, a resposta à glicose diminuiu em 47%. Esta resposta foi temporária e três horas mais tarde, os efeitos da cápsula tinham desaparecido.

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

533 total views, 4 today